A primeira etapa do eSocial já começou para empresas com faturamento maior de R$ 78 milhões em 2016

 

Em janeiro, a ADP transmitiu ao sistema federal os dados de empresa, estabelecimentos e tabelas de todos os seus clientes com faturamento acima de R$ 78 milhões. Submeter os dados corretamente nesta etapa é fundamental para que as próximas quatro fases ocorram sem problemas.

Além disso, como parte dos nossos serviços de eSocial, já viemos trabalhando nas atividades de saneamento de dados de seus clientes cujas empresas tiveram um faturamento igual ou inferior a R$78 milhões de reais em 2016 e que ingressarão no eSocial em julho deste ano.

 
 
“O mercado até o começo deste ano olhava cético para o eSocial, pois muitos esperavam que ele fosse ser adiado. Agora que ele é uma realidade, as corporações precisam montar um plano tático para se adequar e ter o mínimo de prejuízos possível”
 

Ebook eSocial

 

* campos obrigatórios

Please enter your First name.
Please enter your Last name.
The Email field contains an invalid email address.
Please enter a Job Title.
Please enter a Company name.
The Phone Number field is requierd.
Enter a ZIP Code
 
 

A sua privacidade está assegurada

 
 

De acordo com Valquíria Cruz, Diretora de Produtos da ADP Brasil, é importante que as companhias não deixem para se regularizar nos últimos dias, pois erros e/ou atrasos podem impactar toda a submissão.

Diferentemente de outros Sistemas Públicos de Escrituração Digital (Speds), o eSocial estipula uma ordem cronológica para os documentos. Dessa forma, problemas não tratados nos dados da empresa e seus estabelecimentos impedirão a carga dos dados dos seus empregados e, mais tarde, o envio dos dados relacionados à Folha de Pagamento.  

Para quem ainda não começou a se regularizar, a dica da Valquíria é dedicar recursos internos com clara responsabilidade e reporte à alta direção da empresa e buscar parceiros confiáveis e especializados. O volume de informações que precisa ser reunido é grande e, com o prazo correndo, esta tarefa fica ainda mais complicada.

 
 
 

Próximos passos

As outras quatro fases dizem respeito à submissão dos dados dos trabalhadores e seus vínculos empregatícios, dado de folha de pagamento, substituição das guias de encargos e, por fim, os dados de segurança e saúde do trabalhador.  

Em julho, a mesma entrada faseada passa a valer para as empresas que obtiveram, em 2016, um faturamento igual ou inferior de R$ 78 milhões de reais, inclusive micro, pequenas e MEIs que tenham empregados. Já os órgãos públicos terão que se adequar a partir de janeiro de 2019.